Publicado por: Redação | março 23, 2009

Novas Sete Maravilhas do Mundo: Pantanal está fora

_DSC7676

A maior planície alagada do planeta ficou de fora da disputa pelas novas 7 maravilhas naturais

Acabou para o Pantanal. Questões técnicas deixaram a maior planície alagada do planeta de fora do concurso que escolherá as novas 7 maravilhas naturais. A entidade New Seven Wonders organizadora do concurso suspendeu a participação do bioma no páreo devido à controvérsia da categoria que ele ocuparia.

Na primeira fase da campanha, concorrendo como Parque Nacional do Pantanal (centralizado em Poconé, a 104 quilômetros de Cuiabá), a planície se saiu bem. Porém, cada país poderia concorrer com apenas um representante exclusivo e o arquipélago de Fernando de Noronha (PE), o mais votado no Brasil, anulou as possibilidades do Pantanal prosseguir no concurso a não ser que se enquadrasse numa nova categoria.

Aí, o Pantanal deixaria o páreo como Parque Nacional (grupo E) e passaria a integrar o grupo A, como sítio multinacional (paisagem). A manobra permitiria a continuação no concurso.

Diante da situação, o comitê oficial de nomeação do Parque tentou conseguir, junto à organização do concurso, um prazo para a formação de um novo comitê oficial de suporte. Tudo para viabilizar a nomeação do Pantanal na sua nomeação em outra categoria.

Entretanto, para a formação do novo comitê oficial, algumas cláusulas de contrato deveriam ser atendidas – o que exigiria a participação do Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela gestão de unidades de conservação federais.

O prazo de 10 dias concedido pela New Seven Wonders não foi o suficiente para proporcionar a assinatura do novo contrato e a entidade organizadora do concurso declarou, oficialmente, que a participação do Pantanal estava suspensa. Em comunicado à imprensa desta quarta-feira, o chefe do Parque Nacional do Pantanal, José Augusto Ferraz, comentou a suspensão, referindo-se a ela como “definitiva”.

VISIBILIDADE – A New Seven Wonders é a mesma entidade internacional que promoveu a eleição, em 2007, das novas sete maravilhas monumentais. Na ocasião, o Cristo Redentor conquistou um dos títulos, que contribuem com a proteção de patrimônios naturais e construídos pelo homem.

O Pantanal mato-grossense já é considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Uma nova consagração internacional seria extremamente positiva para o local, atraindo investimentos principalmente para a exploração turística e conservação ecológica.

No ano passado, a campanha pela escolha do Pantanal arregimentou imprensa, governos estadual, municipal, empresariado e diversas entidades da sociedade civil organizada. A população aderiu em peso, votando pelo bioma nas ruas da cidade. A suspensão da candidatura, todavia, não é de todo frustrante, segundo o chefe do Parque Nacional José Augusto Ferraz. “Importante é que não perderemos visibilidade. A oportunidade foi muito válida e a suspensão não vai tirar o mérito do Pantanal como uma maravilha natural, o que todos nós sabemos”.

Fonte: Diário de Cuiabá


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: